“Eu sou um ser humano singular, que adora compor com outros seres humanos para torna-se plural;" 
Foi assim que a escritora, cantora, atriz e criadora do Re(arte)culando se definiu, na última quinta-feira (30). Hoje, quatro de Julho, ela completa sua vigésima primeira primavera. E como forma de agradecimento por cada poesia que a senhorita carisma compartilha conosco diariamente, hoje queremos dar palavras de presentes à ela. 
É difícil escrever algo a altura da nossa escritora preferida, mas queremos começar dizendo que, como você mesma se traduziu dia desses, você compõe, e o faz com maestria. Talvez nós nunca seremos capazes de entender como você transforma as palavras em poesia e dá de presente as pessoas, sem esperar nada em troca. Aliás, você faz tudo sem esperar nada em troca. Você compõe uma canção e entrega para outra pessoa dançar no seu lugar; escreve uma poesia para que outras pessoas se identifiquem e entendam que não estão sozinhas; se isso não te mostra o quão importante você é, espere! Mostraremos quem é você: uma escritora sob os nossos olhos. 
Intensa, parece que carrega em si o peso do mundo. Com você não há meio termo e, por isso, sofre com a mornidão das pessoas que não sabem se colocar no lugar do outro. Uma cabeça que não para de pensar; que dorme, sonha e acorda sempre disposta a tornar o mundo um lugar melhor. É poesia que compõe sem parar. Ansiosa, está sempre um passo a nossa frente disposta a se jogar sem medo de proteger quem ama -disposta a se jogar. 
Parece que algumas pessoas foram premiadas com a profundidade do infinito, e você foi uma elas. A gente sempre se pergunta se isso é uma benção ou não, pois faz de nós pessoas que se importam demais, pensam demais, amam demais, humanas demais. Faz de nós pessoas. Por isso, no fim das contas, chegamos sempre a mesma conclusão: é benção! Se pudéssemos escolher o raso ou o infinito, certamente escolheríamos nascer do jeitinho que somos e fazer parte do grupo que sente tudo demais. Isso é o que te faz tão singular. 
Queremos dizer que somos gratos pela tua vida, pela tua poesia, por todos os significados que tuas palavras trouxeram, trazem e trarão; por escrever e permitir que leiamos; por não desistir de ser melhor. Queremos também pedir que continue caminhando, insistindo nas pessoas, nos fazendo ver o melhor em tudo e em todos, acreditando no amor, na educação, na humanidade e, principalmente, que acredite em si mesma e na força que existe aí dentro. Da nossa parte fica o compromisso de ser e estar. Amamos você! 
Texto por: Ane Kelly, Débora Kelly

2 Comentários

O tempo é maior presente que podemos dar à alguém: obrigada pelo seu. As palavras são afeto derretido, que tal deixar as suas? (Caso tenha um site, para que possamos presenteá-lo com nosso tempo,divulgue-o aqui). Forte Abraço.