Por: Beau Taplin



O fato é que relacionamentos são complicados e a decisão de permanecer ou desistir é uma das respostas mais difíceis que a vida nos pede. Algo muito importante de ser entendido é que existem muitos tipos diferentes de amor e nem todos eles contribuem para uma relação e/ou vida saudável e balanceada. Apesar, então, de tudo o que já nos foi dito, existem alguns amores que não merecem que lutemos por eles.
Sim, o amor é paciente e benigno mas, ocasionalmente, pode ser controlador e cruel. Algumas vezes, pode ser instável e caprichoso, sempre indo e vindo sem deixar nada em você possa ter certeza ou, pelo menos, confiar. O conceito de que o único tipo de amor real é estável, simples e apaixonado é um equívoco, no melhor e no pior dos casos, prejudicial - se você escolher acreditar que tudo que for menos que perfeito não é amor, provavelmente, viverá uma vida vazia e solitária. Ao invés disso, você pode aprender a reconhecer as quedas e as dificuldades de suas relações e, principalmente, a diferenciar as que você pode consertar, as que você não pode e as que você vai levar com você. Só então, você poderá tomar uma decisão clara sobre o que é melhor para você.
Lembre-se de que, independentemente do quão infeliz uma relação faz você se sentir, o seu medo de partir e desistir é válido e não é nada para sentir-se envergonhado. Porquê, na verdade, não importa o quão terrivelmente mal tratado você tem sido, ainda dói infernalmente desistir. Algumas vezes, não importa o quão monótona e desestimulante a relação tem sido, ainda parece impossível substituí-la. Você, provavelmente, ainda vai sentir falta por muito tempo, independentemente das circunstâncias de sua partida. 
Mas nada disso significa que você tenha que manter, que todo o sacrifício vale a pena, que a vida valha a pena ser gastada assim. Quando o coração e a lealdade derem lugar ao ciúme e à desconfiança. Quando a paixão for substituída por previsibilidade e rotina. Quando o amor torna-se mais sobre estar amarrado do que fazer o outro feliz e ser feliz, então, é hora de deixar ir e seguir em frente. 

Texto extraído do site THOUGHT CATALOG e traduzido por Ane Karoline

Um Comentário

Deixe um comentário

O tempo é maior presente que podemos dar à alguém: obrigada pelo seu. As palavras são afeto derretido, que tal deixar as suas? (Caso tenha um site, para que possamos presenteá-lo com nosso tempo,divulgue-o aqui). Forte Abraço.