Olhos de faminta fome,
Encaram com intensidade,
Enquanto minha boca repete um nome,
Personificação da felicidade.

Ela era eu, enquanto dois éramos nós
Dos cabelos deslizantes, que acariciam meu rosto,
Ao som profundo e marcante de sua voz.
Dentro de mim há você, e juntos somos oposto.

Riso tilintado, com luz de dentes brancos,
Olhos fechados, marcas de expressão.
Juro que em sua mente há pensamentos vãos e santos,
Enquanto também há escuridão.

És essa bagunça organizada,
Repleta de códigos que se contradizem,
De mente reta e alma bagunçada,
Quantas personalidades dentro de ti vivem?

Ela é completa, viva em si e independente,
Cheia de ideias marcantes e mirabolantes,
Vive guiada por aquilo que sente,
Lutando contra preocupações constantes.

Queria eu poder te desvendar,
Ter a chance de te encontrar,
E enquanto esse dia não chegar,
Eu continuo apenas a te olhar...


Adolfo Rodrigues

2 Comentários

Deixe um comentário

O tempo é maior presente que podemos dar à alguém: obrigada pelo seu. As palavras são afeto derretido, que tal deixar as suas? (Caso tenha um site, para que possamos presenteá-lo com nosso tempo,divulgue-o aqui). Forte Abraço.