Foto por: Ane Karoline

 Parece um ciclo vicioso que se repete continuamente: entra ano, sai ano e a felicidade parece que não quer dar as caras. Que palhaçada é essa?  O que resta é fazer o pedido de ano novo "eu quero encontrar o amor para ser feliz", "eu quero ser promovido para ser feliz", "eu quero ter um carro para ser feliz", "eu quero ser feliz"... Mas quem é que não quer? Mas, eis a little secret: a felicidade é você. Isso mesmo, para de show e se olha no espelho: você é a sua própria felicidade, se não está sendo é porque está dando os passos na direção errada. O investimento agora é aproveitar esse ano que está se encerrando, toda essa emoção e o momento tão propício para fechar as portas que te confundem e não te levam a lugar algum. Tá hesitando por quê? Tá hesitando em deixar para trás o que te faz mal? Larga isso, joga fora. Pode ter sido útil ou agradável em um momento x, mas já foi, esquece: fecha a porta e joga a chave fora. 
  Não hesite: coma o chocolate ou ligue para ela. O chocolate estraga e ela pode não estar mais lá depois da meia noite. Faça o que tiver que fazer mas não deixe a felicidade escorrer pelos seus dedos e nem espere que caia do céu: plante o que você quer colher.
  Isso tudo porque nós temos que ser honestos com nós mesmos, em primeiríssimo lugar. A gente precisa construir a nossa felicidade, se têm manchado a sua felicidade é responsabilidade sua: não faz isso, não deixe que te tirem o sorriso. Mas se já fez, se o teu sorriso já está manchado, aproveita que sempre é tempo: recomeça, joga tudo fora e nasce de novo. A gente sempre pode renascer e com a vantagem de que pode trazer a bagagem boa que conquistamos, deixando só o que não serve para trás.
  Abra a lata do lixo e jogue fora toda essa sua mania de se cobrar demais, jogue fora toda a raiva: não vale a pena, nada que te faz mal vale a pena. Tenha em  mente: "como me sinto quando sinto raiva?" "como me sinto quando estou alegre?". Exato: porque não estar sempre alegre? Não custa nada tentar. Dá um medinho porque a gente não tem o costume de se permitir ser feliz, eu sei, mas se joga: tenta. Se não der certo, você já sabe mais um caminho que não deve seguir, vira a página. Aliás, aprenda isso: não perca tempo em uma página escrita, não rasure sua vida. Rasgue a página, escreva outra. Todo dia é uma página novinha para você escrever. 
  Jogue fora esses mapas que têm te entregado e faça o seu, construa seu caminho: cada segundo é uma nova chance. Se perdoe e seja a melhor versão de você.
  Felicidades sempre: ano novo, vida nova. Um abraço daqueles bem fortes.
Ane Karoline

2 Comentários

Deixe um comentário

O tempo é maior presente que podemos dar à alguém: obrigada pelo seu. As palavras são afeto derretido, que tal deixar as suas? (Caso tenha um site, para que possamos presenteá-lo com nosso tempo,divulgue-o aqui). Forte Abraço.